Exportar registro bibliográfico

Estudos ecológicos em florescimento de microcystis (CYANOBACTERIA-CYANOPHYCEAE) e interações com a flora bacteriana na represa de Barra Bonita-Médio Tietê/SP (1998)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SANDES, MARIA AUXILIADORA LIAL - EESC
  • Unidades: EESC
  • Sigla do Departamento: SHS
  • Subjects: ECOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Com a finalidade de ampliar os estudos sobre os fatores responsáveis pelo desencadeamento do florescimento de Microcystis aeruginosa e sobre o conhecimento da flora microbiana associada, em reservatório subtropical, foi realizado um estudo intensivo (10 dias) no reservatório de Barra Bonita, Médio-Tietê-SP, com coletas diárias de 28 de abril a 07 de maio de 1993. Foram analisadas variáveis climatológicas, hidrodinâmicas, físicas, químicas e biológicas da água. Foram efetuados perfis verticais detalhados até a camada de 1,0 m, a fim de se obterem informações da distribuição do florescimento na coluna d'água. Períodos de isotermia e de frágeis estratificações da camada superficial, foram observados durante o estudo. As espécies do gênero Microcystis que participaram da comunidade fitoplânctonica foram: Microcystis aeruginosa, M. fios-aquae, M. wesenbergii, M. novacekii, M. protocytis e M. pseudofilamentosa. M. aeruginosa dominou durante todo o período de estudo. Em 03 de maio, quando se verificou um intenso florescimento, a participação dessa alga foi de 88,7% do fitoplâncton total (1,13.'10 POT.7' org/l). Também foram analisados bactérias associadas às colônias de Microcystis, bactérias aderidas a detritos e bactérias de vida livre. As bactérias de vida livre predominaram em todo o período. Em 03 de maio, as bactérias associadas às colônias grandes de Microcystis aeruginosa apresentaram maior densidade e também uma correlação ligeiramente maior com colônias grandesdo que com colônias médias e pequenas; isto ocorreu em conseqüência do maior biovolume apresentado pelas colônias grandes (r = 0,765, n = 80, P< 0,01). Ainda em 03 de maio, o número de espécies mais abundantes foi 1,37, o que foi corroborado pela correlação negativa entre M. aeruginosa e índice de diversidade de Shannon (r = -0,506, n = 80, P< 0,01). A produção primária do fitoplâncton também foi a mais alta do período em 03 de maio a 0,0 m (563,44 mg/'cm POT.2' DIA). Notou-se também uma correlação positiva entre clorofila a e M. aeruginosa (r = 0,786, n = 80, P< 0,01). Estes estudos indicam que houve um intenso florescimento de cianofíceas do gênero Microcystis aeruginosa no reservatório, e que a velocidade e direção do vento, e o vento associado a outros fatores, como a alta temperatura do ar e alto tempo de residência hidráulica foram determinantes para o florescimento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.07.1998

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANDES, Maria Auxiliadora Lial; TUNDISI, José Galizia. Estudos ecológicos em florescimento de microcystis (CYANOBACTERIA-CYANOPHYCEAE) e interações com a flora bacteriana na represa de Barra Bonita-Médio Tietê/SP. 1998.Universidade de São Paulo, São Carlos, 1998.
    • APA

      Sandes, M. A. L., & Tundisi, J. G. (1998). Estudos ecológicos em florescimento de microcystis (CYANOBACTERIA-CYANOPHYCEAE) e interações com a flora bacteriana na represa de Barra Bonita-Médio Tietê/SP. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Sandes MAL, Tundisi JG. Estudos ecológicos em florescimento de microcystis (CYANOBACTERIA-CYANOPHYCEAE) e interações com a flora bacteriana na represa de Barra Bonita-Médio Tietê/SP. 1998 ;
    • Vancouver

      Sandes MAL, Tundisi JG. Estudos ecológicos em florescimento de microcystis (CYANOBACTERIA-CYANOPHYCEAE) e interações com a flora bacteriana na represa de Barra Bonita-Médio Tietê/SP. 1998 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020