Exportar registro bibliográfico

Modelo experimental de doença do enxerto versus hospedeiro após transplante de intestino delgado (1998)

  • Authors:
  • Autor USP: GALVAO, FLAVIO HENRIQUE FERREIRA - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCG
  • Subjects: INTESTINO DELGADO (TRANSPLANTE); DOENÇA ENXERTO-HOSPEDEIRO (CIRURGIA); MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS; IMUNOSSUPRESSÃO (MÉTODOS); CITOCINAS (IMUNOLOGIA)
  • Language: Português
  • Abstract: A doença do enxerto versus hospedeiro (DEVH) é uma grave complicação do transplante de órgãos sólidos, com alta mortalidade. Seu estudo tem sido limitado pela carência de modelos experimentais apropriados. Descreve-se um modelo de DEVH baseado no aumento do quimerismo, sua evolução clínica, histopatológica, do número das células quiméricas, do perfil das citocinas e da tolerância imunológica. Ratos Lewis (LEW) foram submetidos a transplante simultâneo de intestino delgado e medula óssea provenientes de ratos ACI (grupo de estudo - E) ou LEW (grupo controle - C), tratados com FK-506 (1 mg/Kg/dia) entre o 0 e 13o PO, e uma dose semanal daí por diante. Os ratos foram divididos nos seguintes grupos: E1- 6 ratos sacrificados no 120o PO. E2- 8 ratos após apresentarem sinais clínicos graves de DEVH entre o 189o e o 271o PO. Como controle, ratos LEW foram receptores dos mesmos tipos de enxertos provenientes de ratos LEW, submetidos à mesma imunossupressão e foram assim divididos: C1- 6 ratos sacrificados no 120o PO, C2- 5 ratos sacrificados entre o 223o e o 270o PO. A citometria de fluxo foi realizada para quantificar a porcentagem das células linfóides de ACI doadores no sangue periférico nos E1, E2 em 6 períodos: 30o PO, 65o PO, 95o PO, 120o PO, 160o PO, 200o PO. Os animais foram examinados 2 vezes por semana à procura de sinais de DEVH (rash cutâneo, perda de peso, de pelo e hiperqueratose). No sacrifício dos animais do grupo E1 e C1, foram colhidas amostras de língua (LI), de linfonodos cervicais (LC), intestino delgado do receptor e do enxerto para análise das citocinas IL-2, IL-4, IL-6, IL-10, IFN-gama e TNF-alfa por meio da reação em cadeia da polimerase. Em todos os grupos foram também colhidas amostras destes órgãos para histopatologia e nos animais do grupo E2 linfonodos cervicais foram processados para análise da reatividade celular por meio da reação mistas dos linfócitos (MLR). A evolução clínica (Continua)(Continuação) e histopatológica foi graduada de 0 a 3 de acordo com a severidade dos sintomas e do infiltrado mononuclear das amostras. Os ratos dos grupos E1 e E2 iniciaram sinais da DEVH entre o 84o e 115o PO. Os ratos dos grupos C1 e C2 não apresentaram evidência de DEVH. Amostras de LI e LC dos ratos do grupo E1 apresentaram alterações histopatológicas grau 2 e do grupo E2 apresentaram alterações histopatológicas grau 3, respectivamente. Nenhuma alteração histopatológica foi encontrada nos ratos do grupo controle e em amostras do ID. Nenhuma alteração histopatológica foi encontrada no intestino delgado do receptor e do enxerto. O aumento da porcentagem de células do doador no sangue periférico do receptor foi progressivo chegando a 5,4±2.3% no 10o período, 21±4,6% no 3o período e 39,3±4% no 6o período. IL-2, IL-6, IL-10, IFN-gma e TNF-alfa estiveram aumentados em língua e IL-4, IL-6, IL-10, IFN-gama e TNF-alfa em linfonodos cervicais. Os linfócitos de ratos do grupo E2 mostraram hiporreatividade aos de ratos ACI e hiperreatividade aos de ratos PVG (terceira parte) denotando tolerância imunológica. Neste modelo experimental há uma inexorável evolução imunológica para DEVH; existe correlação direta entre o aumento do quimerismo em sangue periférico e da expressão de citocinas em língua e linfonodos cervicais e a severidade da DEVH, além da indução de tolerância imunológica do rato do grupo E2 quimérico ao rato ACI normal
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.02.1998
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GALVÃO, Flávio Henrique Ferreira; WAITZBERG, Dan Linetzky. Modelo experimental de doença do enxerto versus hospedeiro após transplante de intestino delgado. 1998.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5132/tde-13072011-171433/pt-br.php >.
    • APA

      Galvão, F. H. F., & Waitzberg, D. L. (1998). Modelo experimental de doença do enxerto versus hospedeiro após transplante de intestino delgado. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5132/tde-13072011-171433/pt-br.php
    • NLM

      Galvão FHF, Waitzberg DL. Modelo experimental de doença do enxerto versus hospedeiro após transplante de intestino delgado [Internet]. 1998 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5132/tde-13072011-171433/pt-br.php
    • Vancouver

      Galvão FHF, Waitzberg DL. Modelo experimental de doença do enxerto versus hospedeiro após transplante de intestino delgado [Internet]. 1998 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5132/tde-13072011-171433/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021