Exportar registro bibliográfico

Estado nutricional do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) e teores de nutrientes e fitatos nos grãos (1998)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SANTOS, JULIO CESAR PIRES - ESALQ
  • Unidades: ESALQ
  • Sigla do Departamento: SD
  • Subjects: HORTICULTURA; PLANTAS CULTIVADAS (FISIOLOGIA); NUTRIÇÃO VEGETAL; FERTILIDADE DO SOLO
  • Language: Português
  • Abstract: Leguminosas de grão como o feijoeiro comum (Phaseolus vulgaris L.) podem ser uma importante fonte de nutrientes minerais e proteínas na dieta humana. Entretanto, a garantia de sua disponibilidade para absorção e utilização dependerá de fatoresendógenos e exógenos aos grãos. O ácido fítico, um forte agente quelatador que pode ligar-se a cátions metálicos mono e divalentes formando sais denominados fitatos é, no momento, uma grande preocupação devido aos dados recentes que sugerembaixa disponibilidade dos minerais em alimentos com altos teores de fitatos. Nos programas de seleção, a eficiência de utilização, especialmente P deve considerar a variação genética da habilidade da planta em assimilar os nutrientes fornecidospelo substrato, e o acúmulo de proteínas e compostos correlacionados nas plantas e sementes. Este trabalhoconsistiu de um experimento de casa de vegetação para estudar o efeito do aumento das taxa de fornecimento de nutrientes mineraisfornecidos em vasos de areia de 3L de volume, no desenvolvimento de três variedades de feijoeiro, e na disponibilidade de nutrientes acúmulo de fitatos nos grãos. Quando comparou-se épocas, variedades e concentrações da solução nutritiva,respostas similares foram encontradas para acúmulo de massa de material seco de parte aérea e raízes. Por outro lado, as concentrações de Zn, tanto em raízes como em parte aérea, tiveram comportamentos opostos. A variedade Rio Tibagi,apesar deacumular altos teores de P e apresentar correspondentes aumentos dos teores de fitatos, apresentou o menor crescimento. A variedade IAC-Una apresentou a mior produção de grãos e o maior acúmulode P nos grãos. Entretanto, esta variedade mostrouum dos maiores teores de fitatos e os mais baixos de Zn e Ca. A variedade Carioca foi intermediária na produção de grãos e apresentou o mais baixo teor de fitatos. A produção máxima de grãos e acúmulo de fitatos foi estimada para o uso desolução ) nutritiva com 30 mg 'L IND. -1' de P, sugerindo esta concentração como máxima para estudos com cultivo de fejoeiro em casa de vegetação, acima do qual podem acontecer interações negativas entre p e outros nutrientes. Todas asvariedades apresentaram tendências de pequenos aumentos lineares no acúmulode proteínas com o aumento da concentração da solução nutritiva. Estes dados sugerem que a redução dos teores de fitatos nos grãos pode ser obtida sem afetardrasticamente os teores de proteínas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.02.1998

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Júlio César Pires; TSAI, Siu Mui. Estado nutricional do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) e teores de nutrientes e fitatos nos grãos. 1998.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1998.
    • APA

      Santos, J. C. P., & Tsai, S. M. (1998). Estado nutricional do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) e teores de nutrientes e fitatos nos grãos. Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Santos JCP, Tsai SM. Estado nutricional do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) e teores de nutrientes e fitatos nos grãos. 1998 ;
    • Vancouver

      Santos JCP, Tsai SM. Estado nutricional do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) e teores de nutrientes e fitatos nos grãos. 1998 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020