Exportar registro bibliográfico

Mecanismos de imunorregulação na fase crônica da Doença de Chagas (1998)

  • Authors:
  • Autor USP: MAZON, SILVIA DE BARROS - ICB
  • Unidade: ICB
  • Sigla do Departamento: BMI
  • Subjects: DOENÇA DE CHAGAS; CITOCINAS; ANTICIRPOS MONOCLONAIS
  • Language: Português
  • Abstract: A resposta imune celular encontra-se ativada na fase crônica da doença de Chagas. Este trabalho investigou os mecanismos de imuno-regulação existentes nas diferentes formas clínicas da fase crônica da doença. Anticorpos monoclonais anti-citocinas: anti-IFN-'gama', anti-IL-4, anti-IL-10 e anti-IL-13; o inibidor da síntese de prostaglandinas (PG): indometacina (INDO); o inibidor da síntese de óxido nítrico ('NO'):'N POT. G'-monometil-L-arginina (NMLA) e o eliminador de peróxido de hidrogênio, glutationa-peroxidase (GPX) foram adicionados individualmente às culturas de células mononucleadas do sangue periférico (CMSP) estimuladas com o antígeno de T.cruzi (T-Ag), por ocasião do início das culturas. Em outra abordagem, linfoblastos obtidos de culturas estimuladas com T-Ag foram tratados com rIL-12 e/ou rIL-2. Os resultados indicam que as respostas proliferativas a T-Ag de CMSP de pacientes chagásicos crônicos encontram-se sob regulação negativa exercida por IL-10 e PG. Nestes mesmos pacientes, observou-se controle da produção de IL-12 por IL-4, IL-10, IL-13, NO e PG. Pacientes com diferentes formas clínicas apresentaram diferenças significativas nas respostas a citocinas. Pacientes portadores das formas cardíaca + digestiva foram agrupados sob a denominação CARD-T. Os resultados mostram que as respostas proliferativas a T-Ag de CMSP de pacientes com a forma indeterminada (IND) encontram-se sob controle de PG, enquanto que,no grupo CARD-T, estas respostas estão sob duplocontrole, por IL-10 e PG. Os níveis de IL-12 são mais elevados nas culturas de CMSP no grupo CARD-T e são regulados negativamente principalmente por IL-10 e PG. A análise da ação de IL-12 e/ouIL-2 sobre as respostas proliferativas a T-Ag de CMSP mostrou que a amplificação exercida ppor IL-12 era mais específica do que a de IL-2 porque IL-12, ao contrário de IL-2, estimula apenas células pré-ativadas. IL-2 atua sobre células pré-ativadas e também sobre células não ativadas, de pacientes ou de normais. IL-12 só teve efeito amplificador nas respostas proliferativas de CMSP de indivíduos normais quando adicionada na concentração mais alta (2,5 ng/ml). Não se verificou diferença de resposta proliferativa parasito-específica promovida por IL-2 e/ou IL-12 entre as CMSP de pacientes com as diferentes formas clínicas. Não foi observada ação de IL-12 e/ou IL-2 sobre a síntese de IFN-'gama'. Todavia, ambos os tratamentos reduziram a produção de IL-10. Culturas de CMSP de pacientes IND apresentaram diminuição de síntese de IL-10 pelo tratamento com IL-12 e/ou IL-2, enquanto que, para pacientes CARD-T, apenas IL-2 teve este efeito. Este resultado sugere que as células produtoras de IL-10 das culturas de CMSP de pacientes do grupo CARD-T não são afetadas por IL-12 exógena, mesmo se adicionada em alta concentração. Os resultados obtidos na presente investigação suportam a hipótese que as respostas proliferativas específicas ao antígeno deT.cruzi encontram-se sob regulação negativa diferencial nas diferentes formas clínicas da Doença de Chagas. Na foram IND a regulação é exercida por PG, ao passo que em pacientes com a forma cardíaca, isolada ou associada à forma digestiva, parece ser necessário um controle mais potente exercido por PG e por IL-10. Este controle dual seria importante para contrabalançar as ações efetoras decorrentes dos níveis mais elevados de IL-12 produzidos pelas células dos pacientes com as formas cardíacas da doença
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.03.1998

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BARROS-MAZON, Sílvia de; ABRAHAMSOHN, Ises de Almeida. Mecanismos de imunorregulação na fase crônica da Doença de Chagas. 1998.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.
    • APA

      Barros-Mazon, S. de, & Abrahamsohn, I. de A. (1998). Mecanismos de imunorregulação na fase crônica da Doença de Chagas. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Barros-Mazon S de, Abrahamsohn I de A. Mecanismos de imunorregulação na fase crônica da Doença de Chagas. 1998 ;
    • Vancouver

      Barros-Mazon S de, Abrahamsohn I de A. Mecanismos de imunorregulação na fase crônica da Doença de Chagas. 1998 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021