Exportar registro bibliográfico

Resistência à remoção por tração de coroas totais metálicas cimentadas em dentes com e sem reconstrução coronária (1996)

  • Authors:
  • Autor USP: BOTELHO, ADRIANA MARIA - FOB
  • Unidade: FOB
  • Sigla do Departamento: BAD
  • Assunto: DENTÍSTICA
  • Language: Português
  • Abstract: O cimento de ionômero de vidro desde o seu desenvolvimento, vem sofrendo uma série de modificações, acarretando uma melhoria significante de suas propriedades, de tal maneira a torná-lo um material alternativo para uma série de aplicações clínicas. Os cimentos ionoméricos atualmente disponíveis apresentam variações em suas composições, as quais os direcionam para utilizações específicas, inclusive para reconstrução coronária e para cimentação de restaurações metálicas. O principal desafio da odontologia restauradora consiste na procura de recursos adequados, que permitam reintegrar ao elemento dental destruído dentro de suas características fisiológica, anatômica e estética. Muitas vezes, a multilação dos elementos dentários determina, em função do seu grau de envolvimento, a necessidade de se reconstruir morfologicamente a coroa dentária, criando-se uma dentina artificial, sobre a qual será confeccionado um preparo cavitário e posteriormente cimentada uma restauração metálica. A cimentação na clínica odontológica consiste em um procedimento por meio do qual procura-se fixar restaurações metálicas em dentes convenientemente preparados. A efetividade deste procedimento é substancialmente dependente dos passos técnicos seguidos e das propriedades físicas, químicas, mecânicas e biológicas do cimento dental empregado. Nos últimos anos, com a reavaliação dos métodos e materiais utilizados com a finalidade de cimentação, desvantagens relacionadas com o empregodo cimento de fosfato de zinco têm sido enfocadas, dentre elas: irritação pulpar, não aderência às estruturas dentárias e ao metal, selamento marginal deficiente e difícil obtenção de restaurações bem adaptadas. Baseando-se nessas observações, e considerando que o cimento de ionômero de vidro apresenta várias características atrativas como: propriedades de aderência às estruturas dentárias e ao metal, ação anticariogênica, aceitável biocompatibilidade e ) baixa solubilidade, este trabalho foi desenvolvido com o propósito de verificar a resistência à remoção por tração de coroas totais metálicas cimentadas com o cimento Ketac-Cem, em dentes adequadamente preparados, com e sem pré-tratamento dentinário, assim como sobre dentes previamente reconstruídos com o cimento ionomérico Vitremer. Para efeito de comparação, empregou-se o cimento de fosfato de zinco. Foram selecionados 50 dentes pré-molares superiores extraídos, 10 para cada condição experimental, os quais foram incluídos em bases de resina poliestirênica, a 1mm da junção esmalte-cemento. Todos os dentes receberam preparo para coroa total. Para 20 amostras, realizou-se, após o preparo, o seccionamento da porção coronária a aproximadamente 1,5mm do ângulo cavo-superficial, remoção do teto da câmara pulpar, adequação dos condutos radiculares e fixação de pinos de retenção. Posteriormente foram reconstruídos com o cimento ionomérico Vitremer, a partir de matrizes acrílicas previamente confeccionadas.Para a obtenção das coroas metálicas, foi utilizada uma liga experimental do sistema Cobre-Berilo (Cu-'BeIND.2'), desenvolvida pelo Departamento de Dentística da FOB - USP. Após o jateamento da superfície interna das restaurações metálicas com o óxido de alumínio, foram as mesmas cimentadas nos respectivos troquéis com os cimentos de Fosfato de Zinco e Ketac-Cem, sob a aplicação de uma carga estática de 8,1 Kg. Apenas para um grupo experimental sem reconstrução coronária, variaram-se as condições do substrato, realizando-se o tratamento da superfície dentinária com o ácido poliacrílico a 40% (Durelon), previamente à fixação das coroas metálicas com o cimento ionomérico. Decorrido um período de 24 horas após a cimentação, as amostras foram submetidas a ciclagens térmicas, nas temperaturas de '5GRAUS', '37GRAUS' e '55GRAUS' respectivamente, por 60 minutos durante 5 dias. ) Durante o período correspondente ao desenvolvimento da pesquisa, os espécimes foram armazenados em água destilada e mantidos a uma temperatura de '37GRAUS'. Vinte e quatro horas após a última ciclagem térmica, os espécimes foram acoplados à máquina de ensaios universal (Kratos), para a realização dos testes de resistência à remoção por tração. Os resultados da análise estatística aplicada aos valores individuais obtidos pelos espécimes correspondentes às diferentes condições experimentais propostas por este trabalho permitiram concluir que o tratamento do substrato dentinário favoreceusignificantemente à adesividade do cimento ionomérico à dentina aumentando conseqüentemente a retenção das restaurações metálicas. Os valores obtidos após os testes de tração para as coroas metálicas cimentadas com os cimentos de fosfato de zinco e Ketac-Cem em dentes reconstruídos com o cimento Vitremer, foram semelhantes à aqueles alcançados pela utilização do Ketac-Cem após o pré-tratamento dentinário, não sendo observada diferença estatística significante entre as três condições experimentais. As características dos resíduos de cimento, observados após o deslocamento das coroas metálicas, confirmaram a sua capacidade de aderir-se tanto à superfície dentinária quanto à de metal
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.07.1996

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BOTELHO, Adriana Maria; FRANCO, Eduardo Batista. Resistência à remoção por tração de coroas totais metálicas cimentadas em dentes com e sem reconstrução coronária. 1996.Universidade de São Paulo, Bauru, 1996.
    • APA

      Botelho, A. M., & Franco, E. B. (1996). Resistência à remoção por tração de coroas totais metálicas cimentadas em dentes com e sem reconstrução coronária. Universidade de São Paulo, Bauru.
    • NLM

      Botelho AM, Franco EB. Resistência à remoção por tração de coroas totais metálicas cimentadas em dentes com e sem reconstrução coronária. 1996 ;
    • Vancouver

      Botelho AM, Franco EB. Resistência à remoção por tração de coroas totais metálicas cimentadas em dentes com e sem reconstrução coronária. 1996 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021