Exportar registro bibliográfico

Estudo da resistência ao desgaste abrasivo de ferros fundidos nodulares austemperados e temperados e revenidos utilizando um esclerômetro pendular (1997)

  • Authors:
  • Autor USP: RESTREPO, JUAN MANUEL VELEZ - EP
  • Unidade: EP
  • Sigla do Departamento: PMT
  • Subjects: FERRO FUNDIDO NODULAR; DESGASTE ABRASIVO
  • Language: Português
  • Abstract: Foi estudada a resistência ao desgaste abrasivo de um ferro fundido nodular com diferentes microestruturas na matriz, utilizando um esclerômetro pendular instrumentado. As condições adotadas para o ensaio correspondem àquelas a que sãosubmetidas as peças utilizadas nos sistemas de tratamento de minério e movimentação de terra, isto é, altos esforços que produzem grande deformação plástica acompanhada de alta velocidade de deformação. A resistência à abrasão do materialdependeu da microestrutura da matriz metálica, de suas propriedades mecânicas e da profundidade de penetração da partícula abrasiva. Para sulcos de até 60 micra de profundidade, com durezas da ordem de 300 HV o melhor desempenho foi apresentadopor materiais de matriz perlítica; para durezas em torno de 450 HV a maior resistência ao desgaste abrasivo foi apresentada pelo ferro fundido nodular de matriz bainítica. O aumento da dureza acima de 500 HV, conseguido com matrizesmartensíticas revenidas, não resultou em melhora da resistência devido à sua baixa tenacidade. Para riscos de profundidade superior a 90 micra o melhor resultado foi obtido com o ferro fundido nodular de matriz martensítica revenida. O aumentoda fração volumétrica de austenita não produziu um aumento da resistência ao desgaste abrasivo do ferro fundido nodular austemperado. A melhor resistência ao desgaste abrasivo foi conseguida com microestruturas constituídas de carbonetosprecipitados em matrizes ferríticassupersaturadas e/ou com alta densidade de defeitos cristalinos, obtidas em condições fora do equilíbrio, tais como perlita fina, bainita inferior e martensita revenida. A presença da grafita na microestruturaprovoca uma queda da resistência ao desgaste abrasivo do ferro fundido nodular. Os nódulos de grafita constituem um entalhe interno que facilita a nucleação e propagação de trincas, independente da microestrutura presente na matriz metálica. Ocoeficiente de atrito entre a partícula abrasiva e a superfície aumentou com a queda da resistência ao desgaste do material, decorrente de uma maior deformação plástica na frente da partícula abrasiva
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.12.1997

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VELEZ RESTREPO, Juan Manuel; TSCHIPTSCHIN, André Paulo. Estudo da resistência ao desgaste abrasivo de ferros fundidos nodulares austemperados e temperados e revenidos utilizando um esclerômetro pendular. 1997.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.
    • APA

      Velez Restrepo, J. M., & Tschiptschin, A. P. (1997). Estudo da resistência ao desgaste abrasivo de ferros fundidos nodulares austemperados e temperados e revenidos utilizando um esclerômetro pendular. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Velez Restrepo JM, Tschiptschin AP. Estudo da resistência ao desgaste abrasivo de ferros fundidos nodulares austemperados e temperados e revenidos utilizando um esclerômetro pendular. 1997 ;
    • Vancouver

      Velez Restrepo JM, Tschiptschin AP. Estudo da resistência ao desgaste abrasivo de ferros fundidos nodulares austemperados e temperados e revenidos utilizando um esclerômetro pendular. 1997 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021