Exportar registro bibliográfico

Tratamento de esgotos sanitários com reator anaeróbio de manta de lodo (UASB) protótipo: desempenho e respostas dinâmicas as sobrecargas hidráulicas (1997)

  • Authors:
  • USP affiliated author: OLIVA, LÍVIA CRISTINA HOLMO VILLELA - EESC
  • School: EESC
  • Sigla do Departamento: SHS
  • Subject: ESGOTOS SANITÁRIOS
  • Language: Português
  • Abstract: Os resultados obtidos durante operação de um reator anaeróbico de manta de lodo (UASB - Upflow Anaerobic Sludge Blanket), tratando esgotos sanitários, são apresentados e discutidos nesta tese. O reator de 18 'm POT.3', em fibra de vidro, encontra-se instalado no Campus da USP de São Carlos. Inicialmente procedeu-se a caracterização dos esgotos sanitários, que se apresentaram bastante concentrados. Dentre os constituintes dos esgotos, observou-se forte predominância de Proteínas. Constataram-se variações incomuns nos parâmetros analisados, tanto horárias quanto diárias. No período de partida, o reator foi operado com vazão constante, tempo de detenção hidráulica (TDH) de 16 horas, e taxa de aplicação volumétrica média de 1,3 kg DQO/'m POT.3'.d. O reator não foi inoculado. O período de partida observado foi de cerca de 5 meses. O reator operou em condições de equilíbrio dinâmico com TDH de 8 horas, e taxa de aplicação volumétrica média de 2,7 kg DQO/'m POT.3'.d. Durante esse período as eficiências médias de remoção de DQO variaram de 71 a 83%. Constatou-se eficiências médias de remoção de Carboidratos (80 a 93%), Proteínas (61 a 85%) e Lipídios (75 a 94%). Durante os ensaios de respostas dinâmicas às sobrecargas hidráulicas, o reator foi operado aplicando-se vazões cinqüenta e cem por cento superiores às vazões de operação normal. Para a aplicação do dobro da vazão normal de operação, observou-se resposta, através de aumento imediato de DQO, até que essepulso fosse interrompido. Com a aplicação de vazões cinqüenta por cento superiores à vazão normal de operação foram observados efeitos menores, porém persistentes. Os resultados obtidos, ao longo de 14 meses de monitoramento do reator UASB, permitem que este seja considerado como alternativa tecnicamente viável, e confiável para o tratamento de esgotos sanitários. No entanto, para reatores UASB em que não estão previstas unidades de pós-tratamento, recomenda-se ) que se utilize alguma forma de amortização dos picos de vazão do esgoto, evitando-se desta forma os efeitos negativos de sobrecargas hidráulicas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.09.1997

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVA, Lívia Cristina Holmo Villela; FORESTI, Eugênio. Tratamento de esgotos sanitários com reator anaeróbio de manta de lodo (UASB) protótipo: desempenho e respostas dinâmicas as sobrecargas hidráulicas. 1997.Universidade de São Paulo, São Carlos, 1997.
    • APA

      Oliva, L. C. H. V., & Foresti, E. (1997). Tratamento de esgotos sanitários com reator anaeróbio de manta de lodo (UASB) protótipo: desempenho e respostas dinâmicas as sobrecargas hidráulicas. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Oliva LCHV, Foresti E. Tratamento de esgotos sanitários com reator anaeróbio de manta de lodo (UASB) protótipo: desempenho e respostas dinâmicas as sobrecargas hidráulicas. 1997 ;
    • Vancouver

      Oliva LCHV, Foresti E. Tratamento de esgotos sanitários com reator anaeróbio de manta de lodo (UASB) protótipo: desempenho e respostas dinâmicas as sobrecargas hidráulicas. 1997 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020