Exportar registro bibliográfico

Fitomassa e mineralomassa da mata ciliar do rio Mogi-Guaçu, Itapira - SP (1997)

  • Authors:
  • Autor USP: BURGER, DÉBORAH MOREIRA - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIE
  • Assunto: ECOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: As matas ciliares do Estado de São Paulo encontram-se hoje reduzidas a fragmentos situados em locais inviáveis para a agricultura, ou então em áreas protegidas sob forma de reservas. Apesar de seu importante papel no equilíbrio das bacias hidrográficas onde ocorrem, pouco se conhece a respeito de sua estrutura e funcionamento. Este trabalho teve como objetivos estimar a fitomassa epigéa da mata ciliar e verificar sua distribuição entre os compartimentos da vegetação, quantificar o estoque de nutrientes na mata como um todo, bem como nos seus diferentes compartimentos e determinar a melhor equação preditora da fitomassa epigéa arbórea da mata ciliar. O trabalho foi realizado numa mata ciliar do Rio Mogi-Guaçu, situada a '22 GRAUS' 21'52'' S e '46 GRAUS' 51'33'' W, no município de Itapira, São Paulo. Trata-se de um fragmento remanescente de Floresta Mesófila Semidecídua, localizado na área de inundação de uma usina hidrelétrica da CESP (Companhia Energética de São Paulo). O clima da região é do tipo CWA de KOPPEN, mesotérmico de inverno seco. A vegetação é esparsa e pouco diversificada, sujeita a inundações periódicas. O dossel atinge os 15 m de altura e o diâmetro médio das árvores é de 8 cm. O estrato herbáceo é pouco desenvolvido e a quantidade de lianas bastante elevada. Foram delimitadas 12 parcelas de 25 'm POT.2' (5x5m), para determinação da fitomassa através do método destrutivo. A vegetação arbórea foi identificada e cortada ao nível dosolo com moto-serra. De cada árvore foram tomadas medidas de perímetro basal e altura, com trena. As folhas foram separadas manualmente do lenho para determinação do peso fresco da porção foliar e lenhosa. A vegetação herbácea e os arbustos com altura inferior a 1,3 m existentes em 3 'm POT.2' de cada parcela foram cortados ao nível do solo, e tomadas as medidas de peso fresco da porção lenhosa e não lenhosa. As lianas foram igualmente retiradas de 3 'm POT.2' das ) parcelas e determinadas as medidas de peso fresco da porção lenhosa e não lenhosa. Amostras de cada fração foram secas em estufa a '80 GRAUS'C, até peso constant, para determinação do peso seco. Todo material levado ao laboratório foi moído e subamostras submetidas à digestão sulfúrica e nitro-perclórica para análise de nutrientes. A fitomassa média obtida foi de 133,3 t/ha, sendo 88,5% referente ao estrato arbóreo, 11,3% às lianas e 0,2% ao estrato herbáceo. A concentração de nutrientes foi maior na porção foliar da vegetação. Porém o lenho, com sua maior biomassa, armazena a maior quantidade de nutrientes. O total de nutrientes armazenado na vegetação decresce na seguinte ordem: N > Ca > K > Mg > P > S > Fe > Mn > Na > Zn > B > Cu. As equações que melhor estimam a fitomassa de mata com características e condições semelhantes a mata ciliar estudada são as seguintes: Peso Seco total = '0,523 POT.1/3'+(0,053) (perímetro); Peso Seco lenho = '0,447 POT.1/3'+(0,053) (perímetro); Peso Seco folhas= '0,488 POT.1/3'+(0,010)(perímetro). A concentração de nutrientes e seu estoque nos diversos compartimentos da vegetação é uma característica própria de cada ecossistema. Informações obtidas a partir da estimativa da biomassa florestal são imprescindíveis para o esclarecimento de questões ligadas ao manejo de áreas naturais, uma vez que estão ligadas ao estoque de nutrientes na vegetação. Dados como os obtidos neste trabalho poderão também ser aplicados na avaliação de custos/benefícios quanto à retirada da vegetação anteriormente à inundação para formação de uma represa em casos semelhantes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.07.1997

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BURGER, Déborah Moreira; DELITTI, Welington Braz Carvalho. Fitomassa e mineralomassa da mata ciliar do rio Mogi-Guaçu, Itapira - SP. 1997.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.
    • APA

      Burger, D. M., & Delitti, W. B. C. (1997). Fitomassa e mineralomassa da mata ciliar do rio Mogi-Guaçu, Itapira - SP. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Burger DM, Delitti WBC. Fitomassa e mineralomassa da mata ciliar do rio Mogi-Guaçu, Itapira - SP. 1997 ;
    • Vancouver

      Burger DM, Delitti WBC. Fitomassa e mineralomassa da mata ciliar do rio Mogi-Guaçu, Itapira - SP. 1997 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021