Exportar registro bibliográfico

Estudo de inativação do cromossomo X em mulheres heterozigotas quanto a distrofia muscular tipo Duchenne (DMD) (1997)

  • Authors:
  • Autor USP: SUMITA, DENILCE RITSUKO - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Assunto: GENÉTICA MÉDICA
  • Language: Português
  • Abstract: Os dados encontrados nesta pesquisa sugerem que: a) A atividade da enzima sérica CK portadoras do gene da DMD/DMB é significativamente maior nas duas primeiras décadas de vida; b) O grau de heterozigosidade do locus AR na população brasileira é de 81% com mais de 20 alelos; c) Cerca de 36% das mulheres normais tem mais do que 80% de seus linfócitos com o mesmo cromossomo X inativo (desvio extremo de inativação). Os fatores abaixo podem ser responsáveis por esse desvio: c.1) o pequeno número de células presentes no momento em que ocorre a inativação (em torno de 8-16 células); c.2) a origem clonal dos linfócitos e a depleção da célula tronco; c.3) a seleção preferencial ou vantagem proliferativa devido à presença de um gene deletério ou tecido-específico; c.4) a existência de genes autossômicos ou ligados ao X que controlem a inativação. d) A análise da proporção de células com o cromossomo X normal/ mutado inativo nas HCDMD/DMB mostrou que a proporção de células com desvio extremo de inativação foi semelhante à amostra controle (34%). Além disso, observamos que: d.1) a expressão do alelo mutado em mais do que 51% das células resulta em um aumento signifiicativo no nível sérico de CK; d.2) as HCP'DELTA' tem o nível médio de CK significativamente menor em relação às HCS'DELTA', o que sugere uma inativação preferencial do cromossomo X portador de deleção; d.3) as HC portadoras de mutação de origem materna tem o nível médio de CK maior em relação as HC (pat) porém, devido aopequeno tamanho amosral das HC (pat) essa diferença não é estaticamente significativa. Nas três análises acima, não se encontrou uma correlação direta entre nível de CK e inativação do cromossomo X. Porém, como o nível de CK é um efeito secundário da expressão do gene da DMD, essa correlação pode ser mais evidente se for analisado o padrão de inativação do cromossomo X no DNA de músculo. Isso favorece o caráter tecido-específico do mecanismo (continua) ) de inativação do cromossomo X. e) A análise da inativação do cromossomo X em 5 heterozigotas manifestantes mostrou uma correlação coerente entre padrão de inativação do cromossomo X em DNA de linfócitos, quadro clínico e achados histológicos e imunocitoquímicos. Entretanto, este grupo de mulheres, justamente por terem um quadro clínico de distrofia constitui-se em exceção e portanto, estes resultados não podem ser extrapolados para todas as amostras; f) A análise do padrão de inativação do cromossomo X em 3 tecidos de origem mesodérmica mostrou que o padrão de inativação pode variar em tecidos diferentes que tenham a mesma origem embrionária provavelmente devido à presença de uma pressão seletiva. O estudo paralelo do padrão de inativação do cromossomo X no DNA de linfócito, no DNA de músculo e do conteúdo de distrofina no músculo poderá esclarecer se há uma correlaçào entre esses fatores e o quadro clínico. É importante que se enfatize que toda a cautela é necessária para se fazer aconselhamento genético noscasos isolados de heterozigotas manifestantes ou não. Isto porque alguns resultados encontrados no presente estudo mostraram que não existe uma correlação direta entre níveis de CK e o padrão de inativação do X. Além disso, ainda não se sabe qual o mecanismo exta que controla o processo de inativação do X nas células de humanos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.09.1997

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SUMITA, Denilce Ritsuko; ZATZ, Mayana. Estudo de inativação do cromossomo X em mulheres heterozigotas quanto a distrofia muscular tipo Duchenne (DMD). 1997.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.
    • APA

      Sumita, D. R., & Zatz, M. (1997). Estudo de inativação do cromossomo X em mulheres heterozigotas quanto a distrofia muscular tipo Duchenne (DMD). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Sumita DR, Zatz M. Estudo de inativação do cromossomo X em mulheres heterozigotas quanto a distrofia muscular tipo Duchenne (DMD). 1997 ;
    • Vancouver

      Sumita DR, Zatz M. Estudo de inativação do cromossomo X em mulheres heterozigotas quanto a distrofia muscular tipo Duchenne (DMD). 1997 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021