Exportar registro bibliográfico

Aspectos fundamentais e tecnológicos dos efeitos dos aglomerantes na cura de pelotas auto-redutoras (1997)

  • Autor:
  • Autor USP: TAKANO, CYRO - EP
  • Unidade: EP
  • Sigla do Departamento: PMT
  • Assunto: ENGENHARIA METALÚRGICA
  • Language: Português
  • Abstract: Estão descritos neste trabalho os fundamentos de hidratação de cimentos que são bases das reações de endurecimento a frio de pelotas. A análise realizada mostra que para acelerar a cura de pelotas há necessidade de utilizar, como aglomerantes, materiais contendo componentes que apresentam altas velocidades de hidratação, os quais são principalmente os aluminatos, os silicatos tricálcicos e os ferro-aluminato tetracálcicos. Foram realizadas experiências, em escala de laboratório, utilizando-se como algomerante cimento Portland de alta resistência inicial (ARI) contendo 68% de silicato tricálcico no mesmo e outros diluentes ( cal hidratada e escória moída de alto forno). Os resultados mostraram que realmente o teor desilicato tricálcico é uma das variáveis mais importantes na velocidade de cura das pelotas auto-redutoras aglomeradas com cimento. No exame das microestruturas resultantes da cura contendo teores crescentes de ciemento verificou-se que amorfologia dos produtos de reação de hidratação são parcialmente dependentes desses teores. Comparando a evolução da resistência à compressão a frio com o tempo nas referidas microestruturas nota-se que com teores baixos de cimento ARI (menoresque 5%) predomina a presença de fases hidratadas de morfologias longas e grandes. Para teores maiores que 6% de cimento ARI predomina-se a presença de produto fino e de forma entrelaçada (gel de silicato de cálcio hidratado). Este tipo de produto é o que apresentoumelhores propriedades de ligação entre as partículas. Propriedades estas medidas pela resistência à compressão das pelotas. Sob ponto de vista tecnológico, utilizou-se os conceitos acima para obtenção de pelotas auto redutoras com aglomerantes com teores variáveis de cimento ARI e escória de alto-forno, para duas misturas básicas: a) minério de ferro + carvão vegetal; b) pós de exaustão da planta de sinterização de minério de ferro + carvão mineral. ) Para minério de ferro + carvão vegetal há uma necessidade de teor mínimo de 5% de cimento ARI para que o efeito sinérgico da escória de alto-forno fique evidente, e há necessidade de teor total de aglomerante da ordem de 8% contra6% para a mistura básica de minério de ferro+ carvão mineral, para se obter resultados semelhantes no comportamento de cura. Os resultados obtidos com pós de exaustão de sinterização mostraram que o material é factível de ser pelotizado na forma de pelotas auto-redutoras, utilizando-se cimento ARI e escória de alto-forno, e apresenta uma resistência à compressão a frio da ordem de 200 N/pelota para pelotas com diâmetro de 18mm, após 10 dias de cura , com adição de 6% de aglomerantes. Os aglomerantes podem ser alternativamente 6% de cimento ARI ou mistura de 3% de cimento ARI + 3% de escória de alto-forno. O sinergismo com a escória de alto-forno torna-se evidente para teores acima de 3% de cimento ARI. Essas pelotas apresentaram excelente comportamento a quente. Não apresentaram crepitaçãoou inchamento e as mesmas mostraram uma redutibilidade comparável às pelotas auto-redutoras com minério de ferro. A resistência à compressão, após o aquecimento a 950 graus Celsius, mostrou ser relativamente baixa ( da ordem de 110N/pelota de 18mm de diâmetro) porém satisfatória, dependendo do processo de auto-redução. Os resultados acima indicam que este resíduo (pós coletados no exaustor da usina de sinterização) pode ser aproveitado por processos de auto-redução para produção deferro primário, como alternativa para sua destinação.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.06.1997
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TAKANO, Cyro. Aspectos fundamentais e tecnológicos dos efeitos dos aglomerantes na cura de pelotas auto-redutoras. 1997.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/3/tde-14082017-090328/pt-br.php >.
    • APA

      Takano, C. (1997). Aspectos fundamentais e tecnológicos dos efeitos dos aglomerantes na cura de pelotas auto-redutoras. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/3/tde-14082017-090328/pt-br.php
    • NLM

      Takano C. Aspectos fundamentais e tecnológicos dos efeitos dos aglomerantes na cura de pelotas auto-redutoras [Internet]. 1997 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/3/tde-14082017-090328/pt-br.php
    • Vancouver

      Takano C. Aspectos fundamentais e tecnológicos dos efeitos dos aglomerantes na cura de pelotas auto-redutoras [Internet]. 1997 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/3/tde-14082017-090328/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020