Exportar registro bibliográfico


Metrics:

Condicionantes sociais e medidas antropométricas: estudo de uma amostra de população infantil do município de Santo André (1975)

  • Authors:
  • Autor USP: LEVY, MARIA STELLA FERREIRA - FSP
  • Unidade: FSP
  • Sigla do Departamento: HEP
  • DOI: 10.11606/T.6.2016.tde-29072016-172636
  • Subjects: ANTROPOMETRIA; FATORES SOCIOECONÔMICOS
  • Language: Português
  • Abstract: Com base em algumas variáveis sócio-antropológicas e três medidas antropométricas - altura, peso e índice de Kaup - de um Estudo realizado no Município de Santo André, elaboramos o presente trabalho. Para este trabalho excluímos crianças púberes, incluindo treze idades: O, 3, 6 e 9 meses, 1 ano, 1a e meio, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8 anos, de ambos os sexos. As variáveis independentes utilizadas foram: ISSE - índice de situação sócio-econômica, construído com base na média de gasto mensal familiar per capita e segundo as 14 categorias de ocupação do pai e as de instrução. Considerou-se para tal, as interrelações das variáveis com o gasto, que foram tomadas como desvios em relação à média de gasto familiar per capita mensal da amostra e a média para cada casela, medidas como múl tiplos de T. CATANCES - construída a partir da informação sobre a nacionalidade dos ascendentes das crianças até a 3ª geração. Constitui-se de 2 categorias: "todos ascendentes brasileiros" e "pelo menos um estrangeiro". Grupo Residencial - dividido em três categorias: "poucos", "médio" e "grande", dependendo de quantas pessoas residissem na casa. Dado que já se conhecia a existência de uma relação positiva entre melhores condições de vida e desenvolvimento físico queríamos observar se isso se dava igualmente nos dois sexos e nas várias idades, e assim poder apreender diferenças entre esses grupos uma vez que só havia sido possível estratificar a amostra por idade e sexo. Essas interrelações ajudariam a melhor caracterizar a população estudada. Como esperado, encontramos uma associação positiva entre melhores condições sócio-econômicas, menor tamanho do grupo residencial e as médias das medidas. Porém, também verificamos a existência de relações entre as variáveis independentes:a) que a categoria de ISSE "alto" associava-se com a categoria "pelo menos um estrangeiro" da variável Catances, o inverso sendo verdadeiro quando a categoria era "todos brasileiros"; b) que, medido pelo tamanho médio do grupo residencial, há indicações de uma fecundidade diferencial, sendo esta maior para o grupo "todos nacionais" da variável Catances. Nesse sentido chamamos a atenção à grande concentração de migrantes de Minas e Nordeste nessa categoria. As médias das medidas foram testadas pelo método de ordenação de médias de DUNCAN, e também pela técnica de ajuste por mínimos quadrados para análises de variâncias. Verificamos ao analisar as tabelas das medidas, segundo os vários controles, que o índice de Kaup não se apresentava diferente de uma idade para outra, enquanto tal acontecia com altura e peso. Uma série de outros resultados somados a esse, evidenciou que o índice não media, ao menos para crianças em crescimento, aquilo que se propunha medir, ou seja, diferenças de estados nutricionais. Sugere-se então um ajuste de curva a fim de que, baseados nos dados empíricos, se encontre uma dada função para cada idade. Também constatou-se que embora as médias das medidas diferissem segundo as variáveis independentes, isso não acontecia igualmente nas mesmas idades e nos 2 sexos. Ainda, através dos resultados das análises de variância, observou-se que apesar das diferenças estatísticas significantes, as variáveis selecionadas explicavam muito pouco da variação das medidas nas várias idades e sexos. Esses resultados nos levaram a concluir que a amostra estudada, segundo as variáveis independentes deste estudo, difere entre idades em ambos os sexos. Isso levanta uma série de questões sobre quais as variáveis mais adequadas a um estudo desse gênero e sobre a utilização desses dados para construção de curvas de velocidade.Permitimo-nos sugerir que as tabelas por nós apresentadas no anexo 1, se consideradas as duas categorias de Catances, fossem consideradas como dois padrões: Leste-Nordeste e Sul, utilizando a idéia das tábuas de vida padrão.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.08.1975
  • Acesso à fonteDOI
    Informações sobre o DOI: 10.11606/T.6.2016.tde-29072016-172636 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold
    • Licença: cc-by-nc-sa

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LEVY, Maria Stella Ferreira; SANTOS, Jair Licio Ferreira. Condicionantes sociais e medidas antropométricas: estudo de uma amostra de população infantil do município de Santo André. 1975.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1975. Disponível em: < https://doi.org/10.11606/T.6.2016.tde-29072016-172636 > DOI: 10.11606/T.6.2016.tde-29072016-172636.
    • APA

      Levy, M. S. F., & Santos, J. L. F. (1975). Condicionantes sociais e medidas antropométricas: estudo de uma amostra de população infantil do município de Santo André. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://doi.org/10.11606/T.6.2016.tde-29072016-172636
    • NLM

      Levy MSF, Santos JLF. Condicionantes sociais e medidas antropométricas: estudo de uma amostra de população infantil do município de Santo André [Internet]. 1975 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2016.tde-29072016-172636
    • Vancouver

      Levy MSF, Santos JLF. Condicionantes sociais e medidas antropométricas: estudo de uma amostra de população infantil do município de Santo André [Internet]. 1975 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2016.tde-29072016-172636


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021