Exportar registro bibliográfico


Metrics:

Mortalidade diferencial por causas, São Paulo, 1970: tábuas de vida de múltiplo decremento (1977)

  • Authors:
  • Autor USP: GOTLIEB, SABINA LEA DAVIDSON - FSP
  • Unidade: FSP
  • Sigla do Departamento: HEP
  • DOI: 10.11606/T.6.2016.tde-03082016-164404
  • Assunto: MORTALIDADE
  • Keywords: Múltiplo Decremento; Tábua de vida; Mortalidade Diferencial
  • Language: Português
  • Abstract: Considerações sobre tábua de vida e tábua de vida de múltiplo decremento foram feitas, dado que o objetivo deste trabalho foi avaliar a magnitude da atuação de alguns grupos de agravos à saúde (doenças infecciosas e parasitárias, tumores malignos, incluindo as neoplasias malignas do tecido linfático e dos órgãos hematopoéticos, doenças cardiovasculares e acidentes, envenenamentos e violêcias) nas probabilidades de morte, de sobrevivência e nas esperanças de vida dos residentes no município de são Paulo em 1970. A esperança de vida ao nascer foi igual a 60,12 anos, no sexo masculino e 67,12 anos no sexo feminino. Foi detectado o importante papel das doenças infecciosas e parasitárias, em menores de 4 anos, pois caso não tivessem sido fator de risco de morte a probabilidade de morrer, nestas idades, teria sido reduzida em até 35 por cento , permitindo que a esperança de vida ao nascer tivesse acréscimos de 2,52 anos (4,19 por cento a mais) e 2,24 anos (3.33 por cento a mais) respectivamante para os homens e mulheres. Os tumores malilnos se não tivessem sido fator de risco de morte teriam reduzido a probabi1idade de morrer dos homens de 50 a 70 anos, em torno de 16 por cento e em 25 por cento , a das mulheres de 40 a 60 anos. Os ganhos nas esperanças de vida ao nascer seriam de 1,87 anos (3,11 por cento a mais) e 2,02 anos (3,01 por cento a mais) nos sexos masculino e feminino, respectivamente.As doenças cardiovasculares, principal grupo de causas de morte, reduziriam em até 60 por cento a probabilidade de morrer dos residentes no municipio de são Paulo, em 1970, e propiciariam ganhos de 9,14 anos e 11,44 anos, respectivamente na esperança de vida ao nascer, masculina e feminina, caso não tivessem sido fator de risco de morte. Os acidentes, envenenamentos e violências, segundo grupo de causas de morte para os homens, caso não tivessem sido fator de risco de morte, teriam reduzido de 27,83 por cento até 65,17 por cento a probabilidade de morrer entre 4 e 40 anos, com isso a probabilidade de sobreviver dos 15 aos 65 anos, faixa de população economicamente ativa, seria de 66,87 por cento , em vez de 61,87 por cento . O ganho na esperança de vida ao nascer seria de 2,36 anos (3,93 por cento a mais). Após a análise de cada um dos grupos de causas pôde-se ordenar os principais grupos de doenças em função dos ganhos que propiciariam à esperança de vida ao nascer, caso não tivessem sido fator de risco de morte: no SEXO MASCULINO - cardiovasculares, infecciosas e parasitárias, acidentes, envenenamentos e violências e os tumores malignos; no sexo FEMININO - cardiovasculares, infecciosas e parasitárias, tumores malignos e os acidentes, envenenamentos e violências. Finalizando, levantou-se a hipótese de que o padrão de mortalidade no município de São Paulo, em 1970, refletiria a existência de problemas de saúde de uma população formada por setores distintos onde coexistiriam condições adversas a saúde típicas, ora de regiões consideradasdesenvolvidas, ora de regiões em desenvolvimento.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.03.1977
  • Acesso à fonteDOI
    Informações sobre o DOI: 10.11606/T.6.2016.tde-03082016-164404 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GOTLIEB, Sabina Léa Davidson; LAURENTI, Ruy. Mortalidade diferencial por causas, São Paulo, 1970: tábuas de vida de múltiplo decremento. 1977.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1977. Disponível em: < https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-03082016-164404/pt-br.php > DOI: 10.11606/T.6.2016.tde-03082016-164404.
    • APA

      Gotlieb, S. L. D., & Laurenti, R. (1977). Mortalidade diferencial por causas, São Paulo, 1970: tábuas de vida de múltiplo decremento. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-03082016-164404/pt-br.php
    • NLM

      Gotlieb SLD, Laurenti R. Mortalidade diferencial por causas, São Paulo, 1970: tábuas de vida de múltiplo decremento [Internet]. 1977 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-03082016-164404/pt-br.php
    • Vancouver

      Gotlieb SLD, Laurenti R. Mortalidade diferencial por causas, São Paulo, 1970: tábuas de vida de múltiplo decremento [Internet]. 1977 ;Available from: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-03082016-164404/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020