Exportar registro bibliográfico

Efeitos do tratamento com pressao e vapor sobre a composicao e a cinetica da fermentacao "in vitro" do bagaco de cana de acucar (saccharum sp. L.) (1987)

  • Authors:
  • Autor USP: MELLO JUNIOR, CELSO DO AMARAL - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LZT
  • Subjects: CANA-DE-AÇÚCAR; FERMENTAÇÃO; BAGAÇOS
  • Language: Português
  • Abstract: Os efeitos do tratamento com pressão e vapor (17 kgf/'CENTIMETRO QUADRADO' durante 5 minutos) sobre a composição química, extensão e taxa de fermentação do bagaço de cana-de-açúcar foram avaliados através da utilização da técnica "in vitro". O tratamento determinou uma redução dos níveis de matéria seca (16,8%), fibra bruta (12,7%), fibra em detergente neutro (31%) e hemicelulose (80%) do bagaço "in natura", além de um aumento de cerca de 20 vezes na concentração inicial dos carboidratos solúveis totais. Houve um aumento de cerca de 18 vezes na concentrção inicial de compostos fenólicos do bagaço auto-hidrolisado (0,4-7,2%). A remoção destas substâncias através do desengorduramento com metanol 80% determinou também a extração de outros compostos solúveis nesta solução, acarretando em um aumento proporcional da fração fibrosa desta amostra. O tratamento com pressão e vapor determinou ( em relação ao bagaço "in natura") um aumento de 58% na digestibilidade "in vitro" da matéria seca, 45% na da celulose e 23% na da parede celular. A curva de digestibilidade "in vitro" acumulada da celulose mostrou que não existe diferença significativa (P 0,05) entre as quantidades digeridas durante as primeiras 16 horas de fermentação. Depois disto o bagaço auto-hidroklisado mostrou valores de digestibilidade superiores (P<0,05) ao bagaço "in natura" e iguais ao bagaço auto hidrolisado desengordurado. Entretanto, a taxa de digestão da celulose destas amostras foram asmesmas entre 12 e 14 h de fermentação. A curva de digestibilidade "in vitro" acumulado da parede celular mostrou valores significativamente superiores (P<),05) para os bagaços "in natura" e auto-hidrolisado desengordurado até as primeiras 12 horas de fermentação, igualando-se ao bagaço auto-hidrolisado após 18 h. A partir de então, o bagaço auto hidrolisado apresentou valores significativamente (P<0,05) superiores ao bagaço "in natura" e iguais ao bagaço ) auto-hidrolisado desengordurado. A taxa de digestão da parede celular do bagaço "in natura" (8,46%/h) e auto-hidrolisado (8,37%/h) foram as mesmas após 12-24 h de fermentação, sendo significativamente superiores à taxa do bagaço auto-hidrolisado desengordurado (6,46%/h)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.12.1987

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MELLO JUNIOR, Celso do Amaral; MATTOS, Wilson Roberto Soares. Efeitos do tratamento com pressao e vapor sobre a composicao e a cinetica da fermentacao "in vitro" do bagaco de cana de acucar (saccharum sp. L.). 1987.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1987.
    • APA

      Mello Junior, C. do A., & Mattos, W. R. S. (1987). Efeitos do tratamento com pressao e vapor sobre a composicao e a cinetica da fermentacao "in vitro" do bagaco de cana de acucar (saccharum sp. L.). Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Mello Junior C do A, Mattos WRS. Efeitos do tratamento com pressao e vapor sobre a composicao e a cinetica da fermentacao "in vitro" do bagaco de cana de acucar (saccharum sp. L.). 1987 ;
    • Vancouver

      Mello Junior C do A, Mattos WRS. Efeitos do tratamento com pressao e vapor sobre a composicao e a cinetica da fermentacao "in vitro" do bagaco de cana de acucar (saccharum sp. L.). 1987 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021