Exportar registro bibliográfico

Resistência e compressibilidade de argilas residuais (1951)

  • Autor:
  • Autor USP: VARGAS, MILTON - EP
  • Unidade: EP
  • Sigla do Departamento: PEF
  • Assunto: ARGILAS
  • Language: Português
  • Abstract: Até há bem pouco tempo a Mecânica dos Solos vinha se desenvolvendo pelo esforço de raros pesquisadores, em alguns poucos centros de pesquisa: no início, Terzaghi, isoladamente, no “Robert College”, de Istambul; depois, com os seus primeiros discípulo, no “Massachusetts Institute of Technology” e na “Technische Hochschule” de Viena. Em cada um desses lugares, tiveram esses pioneiros de se ater ao estudo do solo dominante na região. Dessa forma, passaram à história da novel ciência as “Argilas do Bósforo”, a “Boston Blue Clay”, a “Wiener Tegel”. Juntaram-se-lhes depois as argilas laurencianas do Canadá, as Delta do Nilo e as da Cidade do México; finalmente, entraram no cenário dos estudos as argilas americanas de Massena, de Detroit e de Chicago e as inglesas de Londres de Gosport e de Fen. Assim foi a Mecânica dos Solos se enriquecendo com o conhecimento de muitas argilas, cada qual com suas propriedades, e suas teorias tornaram-se cada vez mais amplas. Quanto às areias, estiveram relegadas a pesquisas menores, como materiais de propriedades simples e de estudo desinteressante. A observação dos fenômenos correlacionados com as areias movediças e seu estado despertaram, porém, o interesse dos pesquisadores para as areias americanas de Franklin Falls, de Fort Peck e de Keystone, às quais se juntaram as areias berlinenses e os “sables boulants” da França. A Mecânica dos Solos restringiu-se, assim, de um lado, ao estudo dos solos tipicamente argilosos e, de outro, ao dos nitidamente arenosos.Existe, porém uma larga gradação de materiais intermediários, dos quais os principais ao os solos residuais, formados pela decomposição, no próprio local, de rochas pré-existentes. Não sofrendo a seleçãogranulométrica do transporte por água ou pelo vento, esses solos são constituídos de misturas de areia e argila; suas texturas são variadas e heterogêneas. Nem na Europa, nem nos Estados Unidos ocorrem camadas extensas e consideráveis desse material residual: daí o fato da quae ausência de seu estudo na literatura técnica. A não ser as notícias sobre os escorregamentos verificados na Estrada de Ferro San José-Porto Limon, em Costa Rica, estudados por Terzaghi, quase mais nada se sabe a respeito ......
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 00.00.1951

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VARGAS, Milton. Resistência e compressibilidade de argilas residuais. 1951.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1951.
    • APA

      Vargas, M. (1951). Resistência e compressibilidade de argilas residuais. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Vargas M. Resistência e compressibilidade de argilas residuais. 1951 ;
    • Vancouver

      Vargas M. Resistência e compressibilidade de argilas residuais. 1951 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021