Exportar registro bibliográfico

Condições de metamorfismo de Buritirama, Pará, e Serra do Navio, Amapá (1978)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BELLO, ROSA MARIA DA SILVEIRA - IGC
  • Unidades: IGC
  • Sigla do Departamento: GMP
  • Subjects: METAMORFISMO; PETROLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Amostras frescas de furos de sonda das jazidas de manganês de Serra do Navio, Amapá, e de Buritirama, Pará, foram estudadas. Em Buritirama ocorrem os seguintes tipos de protominérios de manganês: mármores calcossilicáticos, piroxmangita mármores, braunita mármores, tefroita-alabandita mármores e xistos calcossilicáticos manganesíferos. As rochas encaixantes são constituídas por mármores, rochas calcossilicáticas, xistos e quartzitos dobrados, de altitude geral: direção N60W e mergulho 20 - 30° NE. Este pacote de rochas metassedimentares faz parte do Grupo Grão Pará que é sobrejacente às rochas do Complexo Xingu. Os protominérios de manganês de Buritirama caracterizam-se pela sua natureza sílico-carbonática, ausência de grafita e presença de braunita e hausmanita, além de carbonatos da série Mn-calcita - Mn-kutnahorita, piroxenóides manganesíferos (piroxmangita e rondonita), olivina (tefroita), espessartita, clinoalfibólios manganesíferos , manganoflogopita (manganofilita) e acessórios (alabandita, esfalerita, espinélio manganesífero e pirofanita). Soluções sólidas dos carbonatos indicam temperaturas superiores a '550 GRAUS'C para o pico do metamorfismo sofrido pelo protominério. A paragênese: braunita = hausmanita = carbonato manganesífero indica temperatura semelhante e log 'f IND. O IND. 2' 'APROXIMADAMENTE IGUAL A' -8. As associações das encaixantes calcossilicatas (calcita-dolomita-quartzo-diopsídio-tremolita) e das metapelíticas indicam temperaturas entre500 e '600 GRAUS'C. Estudo de inclusões fluidas em grãos de quartzo, somados aos dados acima, indicam que em Buritirama, o pico do metamorfismo atingiu as seguintes condições: T = 550 '+ OU -' '50 GRAUS'C; P = 3.000 '+ OU -' 300 atm; log 'f IND. 'O IND. 2" 'PROXIMADAMENTE IGUAL A' -8; e, 'X IND.'CO IND. 2" maior que 0,8. Estas condições devem ter ocorrido durante metamorfismo regional progressivo no ciclo orogenético Transamazônico. ) Datações K/Ar e Rb/Sr dessas rochas fornecem idades concordantes de 1960 Ma. Nenhum outro fenômeno de monta ocorreu depois desse evento a não se pequenos cisalhamentos, remobilizações e acomodações. Em Serra do Navio ocorrem protominérios do tipo mármore manganesífero, em forma de lentes envolvidas por estratos de protominério sílico-carbonático, encaixados em quartzo-biotita-granada xistos, xistos grafitosos e quartzitos. Essa sequência metassedimentar sobrepõe-se a rochas do Complexo Guaianense. Localmente considerada como Grupo Serra do Navio da Série Amapá, este pacote modernamente pertence ao Grupo Vila Nova, de idade Rb/Sr 2.090 Ma. (ectinitos) e K/Ar 1.800 - 1.700 Ma. O protominério carbonático de Serra do Navio é caracterizado pela associação Ca-kutnahorita - Ca-rodocrosita, olivina (tefroita), piroxenóides e espessartita, tendo grafita como flogopita, clinopiroxênios manganesíferos - anfibólios manganesíferos, pirofanita e sulfetos. O protominério sólico-carbonático contém a mesma associação porém com maior quantidadede granada e piroxenóides em detrimento de olivina e carbonato. A associação grafita-piroxenóide-olivina-carbonato manganesífero estabelece para o protominério temperaturas de '600 GRAUS'C e fugacidade de oxigênio log 'fIND.'O IND. 2" 'APROXIMADAMENTE IGUAL A' -20, supondo pressões da ordem de 2.000 atm. As paragêneses das rochas calcossilicáticas indicam elevada fração molar de C'O IND. 2' e temperatura da ordem de '620 GRAUS' à 4 Kb, ou temperaturas maiores a pressões mais elevadas (calcita-tremolita-diopsídico-quartzo). as rochas xistosas, metapelíticas mais ou menos silicáticas são mais favoráveis à observação das condições reinantes no metamorfismo sofrido pelas rochas da região. O clímax do metamorfismo deve ter sido atingido a temperaturas da ordem de 700 '+ OU -' '40 GRAUS'C e pressões da ordem de 5,5 '+ OU -' 1 Kb (sillimanita-cordierita-quartzo-granada; ) muscovita-quartzo-sillimanita-ortoclasio; estaurolita-muscovita-sillimanita- biotita). Efeitos de metamorfismo de grau mais baixo, tais como a passagem de sillimanita e ortoclásio para andalusita e microclínio ou para muscovita e quartzo, etc, são abundantes nas rochas pelíticas. Este metamorfismo de grau médio tem seus reflexos também nos protominérios, mármores e rochas calcossilicáticas. O primeiro metamorfismo do tipo regional progressivo atingiu temperaturas suficientes para a fusão de rochas de composições favoráveis, atribuindo-se aos chamados granitos sintectônicos de Serra doNavio, uma origem anatéctica. Após um resfriamento houve um segundo metamorfismo de grau médio (fácies anfibólito), provavelmente responsável pelas datações K/Ar desses metassedimentos. Objetivando a comparação das condições de metamorfismo de Serra do Navio e de Buritirama, confeccionaram-se diagramas de porcentagem molar e diagramas de partição de elementos (em peso por cento dos cátions) entre fases coexistentes, com dados de microssonda eletrônica dos minerais dos respectivos protominérios menganesíferos. A interpretação desses diagramas evidenciou condições de equilíbrio e diferenças no grau de metamorfismo das duas áreas. Descontinuidades nos "trends" de composição dos carbonatos de Buritirama confirmam dados de miscibilidade dos minerais do sistema MnC'O IND. 3' - MgC'O IND. 3', indicando nessa ocorrência, condições térmicas mais baixas daquelas que prevaleceram em Serra do Navio. A natureza dos piroxenóides manganesíferos mereceu atenção especial. Estrutura do tipo piroxmangita existe até um teor limite de CaO, passando para estrutura do tipo rodonita com o aumento desse teor. O conteúdo em CaO das piroxmangitas é menor em Serra do Navio e maior em Buritirama, colaborando com dados experimentais que sugerem ser esse limite dependendo da temperatura. Mais uma vez confirmam-se condições matamórficas mais ) drásticas na primeira área
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.08.1978
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BELLO, Rosa Maria da Silveira; VALARELLI, Jose Vicente. Condições de metamorfismo de Buritirama, Pará, e Serra do Navio, Amapá. 1978.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1978. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-22082013-143754/pt-br.php >.
    • APA

      Bello, R. M. da S., & Valarelli, J. V. (1978). Condições de metamorfismo de Buritirama, Pará, e Serra do Navio, Amapá. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-22082013-143754/pt-br.php
    • NLM

      Bello RM da S, Valarelli JV. Condições de metamorfismo de Buritirama, Pará, e Serra do Navio, Amapá [Internet]. 1978 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-22082013-143754/pt-br.php
    • Vancouver

      Bello RM da S, Valarelli JV. Condições de metamorfismo de Buritirama, Pará, e Serra do Navio, Amapá [Internet]. 1978 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44135/tde-22082013-143754/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020