Exportar registro bibliográfico

Análise estrutural das faixas ectiníticas associadas ao falhamento de Cubatão entre as regiões de Juquiá e Pedro Barros - Estado de São Paulo (1981)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, MARCOS EGYDIO DA - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GGG
  • Assunto: GEOLOGIA ESTRUTURAL
  • Language: Português
  • Abstract: Tendo por objetivo o estudo geométrico das faixas ectiníticas associadas ao Falhamento de Cubatão na região de Pedro Barros e Juquiá, dividiu-se a região de estudo em três compartimentos tectônicos, localmente denominados Bloco Norte, Sul e Central. Quanto ao aspecto litológico, o Bloco Norte é constituído predominantemente por gnaisses e migmatitos com intercalações de corpos graníticos. Por vezes os gnaisses apresentam associações mineralológicas que denotam um fácies metamórfico elevado, por exemplo, cordierita, silimanita e feldspato potássico, porém predominam o fácies anfibótico. No Bloco Sul a litologia predominante são os ortognaisses, quartitos, charnockitos e rochas granulíticas. O Bloco Central apresenta uma litologia completamente distinta dos demais. Predominan os filitos, quartzitos, quartzo-mica-xistos, seiricita-quartzo-xistos, grafita-xistos, rochas granitóides de composição granítica e granodiorítica, metabásicas e calco-silicáticas. No Bloco Central parece ter havido dois episódios metamórficos distintos. O primeiro teria atingido o fácies anfibolito, este foi verificado através de estudos feitos por EGYDIO DA SILVA et al. (1979) em grafitas e pelas associações mineralológicas verificadas em rochas calco-silicáticas. O segundo seria de grau baixo, fácies xistos-verdes, compatível com a litologia local. Com relação à geologia estrutural, o trabalho com as estruturas coesivas permitiu a formulação de duas hipóteses para asua evolução. A primeira admite que o episódio formador das dobras isoclinais constituiu-se em um evento de âmbito regional dos mais relevantes, pois a esta fase estariam relacionados o surgimento dos grandes falhamentos transcorrentes que seriam decorrentes de uma exageração da xistosidade 'S IND. CO'='S IND.Cl'. Esta é a primeira fase de deformação do Bloco Central e foi correlacionada à segunda fase do Bloco Norte. A primeira fase de deformação do Bloco Norte é ) desconhecida, sabe-se apenas que gerou um bandamento metamórfico. Para o Bloco Central a segunda fase de deformação é caracterizada pelo desenvolvimento de dobras do tipo "flexural-slip", dobras de "chevron"e pelo desenvolvimento de uma xistosidade do tipo "strain-slip". Os eventos relacionados a uma terceira fase de deformação para o Bloco Central foram observados de diferentes maneiras: 1) através de deslizamentos "normais"ao longo de 'S IND. Cl' e 'S IND. CO', dobrando 'S IND. C2'; 2) Fraturas sinistrais grosseiramente perpendiculares aos eixos das dobras 'S IND.C2'; 3) Dobramento suave que báscula os eixos da fase 2. A segunda hipótese correlaciona a fase 1 do Bloco Norte ('F IND. N1') com a fase 1 do Bloco Central ('F IND. C1'). O surgimento das grandes falhas transcorrentes estaria ligado à segunda fase de deformação e seria devido à transposição de uma xistosidade do tipo "strain-lip". Esta segunda hipótese implica em apenas um metamorfismo e está em acordo com as interpretações clássicasque descrevem apenas um único metamorfismo de intensidade variável. Com relação às estruturas disruptivas pode-se fazer as seguintes considerações: As grandes falhas trancorrentes, segundo a opinião do autor, foram originadas devido a um processo de exageração da transpiração. As rochas epimetamórficas ficaram preservadas em estruturas do tipo graben que foram originados durante o desenvolvimento da transcorrência, de acordo com o modelo proposto por EMMOND (1969). Os estudos feitos através de sistemas de fraturas, mostrou que para a Falha do Cubatão o modelo de RIEDEL (1929) se ajusta de maneira imperfeita e mostra que se trata de um falhamento do tipo dextral. As aplicações dos métodos ARTHAUD (1969) para o estudo das fraturas, mostrou que as direções de encurtamento máximo (Z), alongamento máximo (X) e intermediário (Y) possui as seguintes atitudes: N-S - vertical, E-W - vertical respectivamente. ) A faixa cataclástica de Itariri bordeja totalmente o Maciço dos Itatins, possui um deslocamento sinistral e é provavelmente mais antiga que a faixa Cubatão
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.05.1981
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      EGYDIO-SILVA, Marcos; SADOWSKI, Georg Robert. Análise estrutural das faixas ectiníticas associadas ao falhamento de Cubatão entre as regiões de Juquiá e Pedro Barros - Estado de São Paulo. 1981.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1981. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-02092013-103544/pt-br.php >.
    • APA

      Egydio-Silva, M., & Sadowski, G. R. (1981). Análise estrutural das faixas ectiníticas associadas ao falhamento de Cubatão entre as regiões de Juquiá e Pedro Barros - Estado de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-02092013-103544/pt-br.php
    • NLM

      Egydio-Silva M, Sadowski GR. Análise estrutural das faixas ectiníticas associadas ao falhamento de Cubatão entre as regiões de Juquiá e Pedro Barros - Estado de São Paulo [Internet]. 1981 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-02092013-103544/pt-br.php
    • Vancouver

      Egydio-Silva M, Sadowski GR. Análise estrutural das faixas ectiníticas associadas ao falhamento de Cubatão entre as regiões de Juquiá e Pedro Barros - Estado de São Paulo [Internet]. 1981 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-02092013-103544/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020